cdl novo

Sem receber, parte dos prestadores de serviço ao Plansaúde suspendem atendimento

Sindessto informa que não se posicionou sobre suspensão e que atuais paralisações acontecem por decisão particular de cada estabelecimento

LUÍS GOMES, DA REDAÇÃO 10 de Jan de 2018 - 11h06, atualizado às 11h09
Compartilhe

Usuários do Plano de Assistência à Saúde do Servidor (Plansaúde) tem reclamado ao CT que não tem conseguido atendimento. Apesar do Sindicato dos Hospitais e Estabelecimentos (Sindessto) não ter se posicionado oficialmente sobre uma suspensão, alguns locais tomaram a decisão por contra própria por falta de pagamento. A informação é da presidente da entidade, Maria Lúcia Machado, que relatou que o governo do Estado tem repassado recursos de forma parcial: uns recebem e outros não.

O Sindessto destaca que ficou estabelecido em acordo que o governo do Estado pagaria a referência 6 e 7 em novembro e dezembro, respectivamente; mas não foram todos os prestadores de serviços que foram contemplados, contou Maria Lúcia Machado. Ainda segundo a presidente do sindicato, a Secretaria de Administração (Secad) se comprometeu de regularizar todo o resto do débito em janeiro, o que não aconteceu para nenhum dos estabelecimentos até o momento. “Como tem alguns que não receberam [a 6], são oito parcelas em aberto”, conta.

“Estão pagando parcialmente. Não foram todos que receberam a referência 7, que era para ser paga em dezembro; outros não receberam nem a 6. Tem vários hospitais que não estão atendendo, suspenderam por conta própria. Isto não significa que foram todos. O sindicato ainda não tomou um posicionamento. Houve reunião, mas não houve unicidade sobre o tema”, explicou Maria Lúcia Machado.

O CT acionou a Secad e aguarda manifestação.


Comentários

Redação: Palmas, Tocantins, Brasil, +55 (63) 9 9219.5340, +55 (63) 9 9216.9026, redacao@clebertoledo.com.br
2005 - 2018 © Cleber Toledo • Política com credibilidade
ArtemSite Agência Digital